Ads Top

Entrevista: Amanda Abbington, esposa de Martin Freeman, conta curiosidades de bastidores


Por The Baker Streets Babes

Tradução: Sherlock Brasil (sob autorização)

No dia de Ano Novo, um post no facebook chocou o grupo "The Baker Street Babes". Amanda Abbington estava querendo se tornar uma Baker Street Babe. Após nos recompormos (levou algum tempo), iniciamos uma deliciosa conversa com Amanda sobre Sherlock e mais. Alguns meses depois de um calendário com dança, trabalho, escola e Nova Zelândia, The Babes (Curly, Ardy, Turk e Kafers) e Amanda finalmente puderam se encontrar e o que você está prestes a ouvir e ler o que saiu disso.


itunes pic
Podemos dizer honestamente que foi um prazer delicioso. Não apenas divertido, foi revelador. Amanda ganhou o apelido de A Rainha do Fandom pelos entusiastas de Sherlock da BBC, e com certeza ela o é. Ela foi atrás dos fãs como ninguém, quebrando O Quarto Muro e abraçando a cultura de fãs. Incrivelmente encantadora, inteligente e afetuosa.ela se tornou especial para muitos de nós.


Saibam que este episódio foi gravado no final de Abril, em um restaurante.

Para quem não sabe, Amanda Abbington é uma atriz inglesa e comediante que já trabalhou no palco e na TV. É mais conhecida por seus papéis na comédia Man Stroke Woman, de 2005 e também After You've Gone with Nicholas Lyndhusrt, de 2007-2008. Também apareceu em séries atuais como Coupling, Casualty, e Dream Team. É parceira de longa data do ator britânico Martin Freeman, que interpreta John Watson em Sherlock.

Ela tem um grupo no Facebook, entitulado Amanda Abbington is made of trolls, wit, and perfection. (Parceiro do grupo dedicado ao seu marido, Martin Freeman is made of jam, kittens, and rage).

Você pode segui-la no twitter em @amandaabbington.

Ouça o podcast AQUI.

BSB: Todos os Babes americanos ficaram tipo "Nós odiamos vocês, mas amamos! Dê um abraço nela por nós!". Então, os EUA estão te abraçando.

Amanda: Eu amo americanos, a América. Acho adorável. Ah, isso é tão legal...E, ah, Martin também mandou seu amor. Ele diz "oi" e manda seu amor.

BSB: Quando eles vão terminar?

Amanda: No final de Julho. É, é uma permanência bem longa. Eles estão lá há...um ano e meio! É complicado, mas agora nós dissemos que a qualquer lugar que ele vá, nós iremos com ele porque é realmente muito duro. Não pensávamos que seria tão difícil. E ainda tem o fato de que ele está indo dormir enquanto eu estou acordando, então nós sentimos muita falta um do outro. Mentalmente, você sente falta do outro, porque ele já está indo pra cama e eu estou começando meu dia. Então é um pouco assim "Boa noite!", "Oi!". É um pouco cansativo.

BSB: Eu sei. Eu morava no Japão. É quase o mesmo tempo de diferença. Eu chegava em casa do trabalho e minha mãe estava tipo "Oi!" e eu, "Eu estou muito cansada! Não vou falar com você agora!"

Amanda: É, é desse jeito. É difícil. Nós teremos que repensar se ele sair. Tem algumas coisas em LA. Não antes de Janeiro, que é quando começam as filmagens da terceira temporada [de Sherlock] aqui.

BSB: Então, já vai fazer um ano. Basicamente, eu fiz um programa de rádio na faculdade e amei a ideia do podcast. Eu quis fazer um podcast! Daí eu tinha esses amigos que eram fãs de Sherlock Holmes e fiz uma lista no Twitter que chamei de Baker Street Babes e alguém disse "parece um grupo de alguma coisa!". E eu disse, "falando nisso, quer fazer um comigo?"

Amanda: E é muito bom. Martin conhece também, só pra que vocês saibam.

BSB: Sabe? Jesus.

Amanda: Mas é muito bom. Ele ama. Ele me mostrou o material de vocês pela primeira vez no ano passado. Alguém contou a ele sobre essa coisa chamada tumblr. Ele não sabia o que diabo era um Tumblr, mas alguém disse "Você devia dar uma olhada", e aí ele olhou, e um dia ele me disse "Você deveria ver porque tem gente colocando meu corpo, tipo, na cabeça de gatos!". E eu disse "tá" e ele disse "E Ben é um gato e eu um porco-espinho e eles estão me comparando a porcos-espinho, e é uma graça!" E a gente ficou lá sentado, rindo. E foi como a gente descobriu o Baker Street Babes e esse tipo de coisa. 

Eu falei com Mark Gatiss ontem. Ele estava indo a uma reunião com Steven [Moffat] pra discutir o roteiro. Muito empolgante. Parece que será bom. Eles anteciparam que será melhor que a segunda temporada.

E o que vocês acharam do filme - Jude Law e Robert Downey Jr.?

BSB: São divertidos. Não acho nada canônicos, mas são bons para explosões e briga gratuita e tudo mais. Não desgosto. São um bom divertimento. Não acho que exista competição.

Amanda: Não, não acho que Ben e Martin estão preocupados com os filmes.

BSB: Não, não acho que deveriam. Sim, eles tem bastante dinheiro e publicidade porque é um filme e é Robert Downey Jr., mas quando se compara a qualidade, não há o que contestar.

Amanda: Não, eu concordo. Acho que a daqui tem um Moriarty melhor. Você sabem, Andrew Scott,  você precisaria se esforçar muito pra ser melhor que Andrew Scott. Ele é meu herói. Eu achei tão complicado porque Martin e Andrew estão indicados para o mesmo BAFTA. Não sei quem eu irei apoiar. É uma categoria difícil este ano. Mas quando eu contei a Martin - porque ele não sabia que tinha sido indicado - eu liguei pra ele e disse "Você foi indicado ao BAFTA de novo!" E ele disse "Andrew está na categoria?" e eu "Sim!" e ele "Ah, merda!" [risos]

[Andrew Scott acabou vencendo como Melhor Ator Coadjuvante. Clique para ler nossa cobertura, ver vídeos e fotos.]

BSB: [Sobre o programa não ter sido indicado ao BAFTA nas categorias Drama ou Minissérie] Não faz nenhum sentido. 

[Sherlock recebeu um BAFTA em 2011 como melhor série dramática. Neste ano, o BAFTA mudou as regras e a série não pôde concorrer devido ao seu formato de três episódios de 90 minutos, que não se enquadra em nenhuma categoria]

Amanda: Não. Eu acho que em parte é um pouco de inveja. Eu falei com alguém sobre isso e disseram "Ah, a razão para Sherlock não ter sido indicada é porque ficou muito popular e mainstream". E eu disse "Você não pode usar esse argumento. Spooks foi indicada e Scott and Bailey, que são mainstream na ITV". Eu não sei porque ela foi deliberadamente negligenciada.

BSB: Quando eu acordei, eu acho que vi tweets seus e de Louise Brealey [que interpreta Molly] - bem bravas - e eu fiquei tipo "O que houve?". Foi tipo "Ah, Benedict, legal, Martin, legal, Andrew, legal - O QUE?"

Amanda: Mas foi um choque! Foi um choque pra mim. Eu esperava vê-la [entre os indicados], e quando não vi, achei que fosse um engano. Achei mesmo.


Sue, Beryl e Debbie Vertue
Amanda: Eles têm duas mulheres fortes como produtoras. Sue e Beryl são incríveis!

BSB: São as Vertue que estão por trás de tudo.

Amanda: Elas são mulheres incríveis. São ótimas. E é muito bacana que elas meio que estão fazendo o programa funcionar. Mulheres comandando! Mulheres por trás de um dos melhores programas da televisão! Não é ótimo? Precisamos de mais mulheres fortes fazendo esse tipo de coisa.


BSB: Bom...minha primeira pergunta é, o que fez você decidir começar a interagir com os fãs e o fandom em geral?

Amanda: Porque vocês são tão fofos com Martin. E são muito legais. Vocês todas parecem garotas tão inteligentes, engraçadas e talentosas. Vi algumas artes e algumas coisas que foram escritas. Muito bom. Martin é muito muito muito muito reservado - maniacamente reservado, o que é bom. Eu amo que ele seja. Mas eu queria agradecer por ele e dizer oi e eu apoio totalmente o que vocês fazem. É ótimo! Eu não sou uma daquelas namoradas ou esposas que ficam "Aquelas vadias!", eu não assim mesmo, e eu só queria dizer que vocês estão fazendo um trabalho fabuloso, porque estão. Eu acho uma graça o quanto vocês amam o Martin, e eu amo isso. Genuinamente. 

Tenho muito orgulho do que eles fazem naquele programa. É genial, na verdade. Eu nunca tinha visto nada parecido na televisão e acho ótimo que as pessoas estejam amando. E vocês precisam saber que todo mundo sabe que vocês amam. Entende o que eu quero dizer?

BSB: Definitivamente. Você disse que Martin foi o primeiro a encontrar o Tumblr. Isso foi antes ou depois de você começar a brincar no grupo do Facebook?

Amanda: Depois. Tudo veio depois. Nós olhamos o Tumblr primeiro e costumávamos rir muito. "Olha, eu sou um gatinho, por que eu sou um gatinho?" Isso veio de lá, na verdade. Achei muito divertido.


BSB: Qual a foto mais ridícula que você viu ou a sua preferida?

Amanda: Tem uma foto. Ah, eu estou morrendo de rir agora. [Martin com o BAFTA, ao lado de uma figura de um ouriço. Amanda tem salvo no telefone e mostra]. Mas nós amamos todas as artes. Algumas pinturas são incríveis. E aquelas comparações! Me mandaram uma lontra abraçada a um ourço. Eu amo. Estão lá em cima. Não deixarei as crianças brincarem com eles.


BSB: Aw ótimo. Qual o seu episódio favorito?

Amanda: O Reichenbach. Definitivamente. Do minuto em que você começa...é uma montanha russa. Eu vii - e não estou brincando - umas 30 vezes até agora, e nunca me canso e sempre choro na mesma cena, e sempre rio na mesma parte, tem o tom certo e atuações perfeitas. Eu gosto de assistir. Eu penso nos episódios como filmes. Você pode pegar cada um deles e vê-los como filmes separados. É o que eu adoro. Mas n'A Queda, minha cena favorita, uma das minhas favoritas - eu tenho duas - é quando Moriarty está na Tower of London, e está com os headphones ouvindo Bach e todo mundo está tomando o chá da manhã. Eu amo. E você o vê invadir a prisão e o banco. E todo mundo tomando chá às onze, é lindo.

BSB: Quintessencialemente inglês.

Amanda: É, eu eu amo.

BSB: Preciso perguntar qual é a outra cena. [Spoiler de The Reichenbach Fall]

Amanda: Minha outra cena favorita? A cena do final, no finalzinho quando Martin - agh - quando Martin está falando com o túmulo, e você vê Ben parado ali!

BSB: Ele faz aquela coisa de "ah, aquela parte é a próxima"?

Amanda: Não, ele não faz isso. Nós assistimos juntos [esse episódio] pela primeira vez, ele ainda não tinha visto. Nós vimos juntos e eu bati nele depois. Eu bati bem forte no braço, eu estava tão empolgada. Eu disse "seu ESCROTO!" e eu bati nele, e ele "OWWW!". Eu estava muito empolgada. "Não me faça chorar, seu homem horrível!"


BSB: É lindo. Ele [John] vai embora, e você está com o coração partido, e aí ele [Sherlock] está lá.

Amanda: Eu sei! Vão chutar a bunda dele por isso, não vão?

BSB: Sim, por favor! É o que a gente espera. Se não puder nos dar um abraço, por favor, deixe que John soque a cara dele! Por favor! Isso leva a algo que eu queria perguntar. Uma das meninas do grupo, Maria, quer saber...como foi pra você ver seu marido na tela como John Watson? Você faz conexão com o pessoal ou com o personagem? Tipo, você enxerga Martin?

Amanda: Bem eu o assisto em tudo, na verdade. Ele é uma ator fantástico. E ainda é sempre muito bom na caracterização. Então eu não o assisto como Martin. Eu o assisto como o personagem. Ainda que, no final daquela cena no túmulo, tenha uma parte de mim que fica chateada por Martin, mas de maneira geral, eu o vejo como o personagem. Ele é fantástico no palco! Já o viu no palco?

[**]

BSB: Não, não vi. Quando eu vi Claybourne Par ele não estava mais porque tinha sido transferido para o Oriente Médio. Quando eu vi eu fiquei tipo "ai, isso é muito engraçado". Alguém me disse que Martin Freeman interpretava aquele cara e eu "BLAGH!". Por que não vi aquela versão?!

Amanda: O trabalho dele no palco é incrível. Eu tento colocá-lo em outra peça. Eu meio que me separo de mim quando o vejo. Eu não o vejo como Martin, mas como os personagens. Ele é muito bom nisso.

BSB: Ele é muito, muito bom como John Watson.

Amanda: Ele é. Há nuances sutis que ele não faz na vida real, como a maneira de andar, a maneira de parar, ele é meio militar e não é assim na vida real. Ele é a pessoa menos militar que eu conheço. Ele é meu ator favorito. bem, ele e Andrew e Ben.

BSB: Quando você lê as histórias, você imagina Ben e Martin nos papéis?

Amanda: Isso é interessante. Eu não imagino. Na minha cabeça eu meio que...na minha cabeça, Sherlock é sempre bem alto e bem aprumado. É, não, eu não imagino Martin e Ben. Soa até estranho! Eu não imagino Ben e Martin na minha cabeça. As garotas do tumblr vão ficar "Oh! Oooh!" agora. "Oh, Martin e Ben juntos! Eu queria que eles se casassem!" [se referindo a Sherlock & Watson]

BSB: Honestamente, o que você acha disso? Você aceita como é, ou o que?

Amanda: Me faz rir. É uma graça. Algumas das imagens também.  As pessoas os desenham juntos. É tipo "Awww...tudo bem".

BSB: Acho que na maior parte do tempo as pessoas os desenham como os 
personagens.
Fonte
[Spoiler de Escândalo na Belgrávia]

Amanda: Totalmente. Ah, nunca é Martin e Ben. É sempre que Sherlock e John deveriam estar juntos. O que é justo. Existe esse ar no programa, eu acho que tem, Eu estava falando com Martin sobre isso. No Escândalo na Belgrávia, quando Watson vai ver Irene no Battersea Power Station e eles tem aquela conversa onde ele diz "Por que você o magoou?" e eu disse a Martin, "É como se você estivesse com ciúmes." Ele nunca atuou dessa forma, mas eu assisti quando isso estava meio que o afetando em um nível profundo. Ele não entendeu. Isso é meio interessante. Eu dIsse "É um pouco homoerótico. É um pouco, porque vocês vivem juntos e vocês são meio...Sherlock é mesmo estranho e ele é mesmo hétero, e tem isso - tem um ar homoerótico." Eu acho que tem. Eu sei que eles não atuam dessa forma, e eu sei que não era o que eles estavam pensando quando filmaram. 

[**]

BSB: É que fica dessa forma, eles querendo ou não. Há química ali. Basicamente são os papéis que eles tem.

Amanda: Totalmente. Há mesmo.

BSB: E se reflete em Holmes & Watson.

Amanda: E nenhum deles pode ficar sem o outro. Isso é o que tem de belo. Eles dependem um do outro. Eles precisam um do outro por diferentes motivos. E você vê isso no final. Watson está desolado e ele está lá o observando...é lindo. Eu amo. Eu me lembro de ter visto uma coisa na internet. Acho que era o rosto de Daniel Radcliffe e alguém tinha escrito "ele deveria estar com Benedict. Martin deveria estar com Benedict" e eu me lembro de pensar que as pessoas realmente acham que Martin e Benedict deveriam ficar juntos. Eu fiquei levemente preocupada, mas Martin disse que estava tudo bem. As pessoas não pensam aquilo de verdade. E tudo bem.


BSB: Então, como são as visitas ao set? Já foi a alguma?

Amanda: Algumas vezes, mas a de Baker Street é sempre mais atrativa por ser a mais fácil. É ótimo e as crianças amam.

BSB: Elas gostam de vê-lo atuar e tudo mais?

Amanda: Elas amam - e veem o papai como Watson. É uma alegria imensa pra ele. Minha filha - quando crescer, quer ser Moriarty. E ela será! Ela é assustadora. Somos grandes fãs lá em casa.

BSB: Obviamente, você não pode nos dizer nada sobre a terceira temporada, e não iremos te perguntar nada sobre isso, mas quando Martin recebe um roteiro, ele te conta imediatamente o que vai acontecer? Você precisa arrancar dele?

Amanda: Ele lê, ele e vem e fala "Isso é muito bom! Leia, por favor, leia", e eu digo "Não, eu quero esperar até sair", mas eu acho que li o roteiro de Reichenbach por que ele disse "Por favor, leia. É muito bom". Mas geralmente eu não leio os roteiros dele. Ele lê imediatamente e fica muito, muito, muito empolgado por um longo tempo. São escritos de forma tão brilhante! É muito bom! Ah, eu sou uma enorme fã!

BSB: Do que você é fangirl?

Amanda: Ah, peraí, está tudo na minha cabeça. Eu faço muito isso. Louis CK. Vocês conhecem Louis CK? Ele é um comediante de stand up. O homem mais engraçado do mundo. E eu sou muito fã dele. Muito. Ele é muito engraçado. Então sim, eu sou fangirl dele. Andrew [Scott] também. Eu adoro ele. Quando eu o encontrei pela primeira vez, eu ia pra uma audição e estava no Covent Garden e Mark estava fazendo o Recruiting Officer no Donmar e eu virei a esquina, e sentados fora do café estava Mark com Andrew, e eu fiquei tipo - Oiiii! e Mark disse "Oi, querida, quer sentar para um café?" e eu fiquei tipo "Sério?! Ah meu deus!" e ele levantou e disse "Oi Amanda, nunca havíamos nos encontrado, você é a única que eu não tinha encontrado" e eu fiquei tipo "Hahaha!" e estava tremendo! Eu estava tremendo! E foi patético. Foi quando eu disse que queria ir ver Bedtime Stories.

[Gesticulando sobre a estranheza do encontro]

Ele estava falando e dizendo "O que você acha?" E eu estava tipo..."Desculpe, o que? Desculpe...ah desculpe". Eu sou uma imensa fã idiota dele. Tenho permissão. Martin diz que eu tenho permissão. Eu era uma enorme fangirl. Eu sou assim com Ian Mckellen. Eu o encontrei, e Martin disse "Eu sempre percebo quando você está muito, muito, estupidamente, tipo, apaixonada por alguém porque você sai falando "Eu te acho muito bom!". Então sim, eu gosto bastante disso. Eu o amo [Andrew]. Amo! Ele é um ator incrível.

BSB: Não, ele é fantástico. Eu não o conhecia antes de Sherlock

Amanda: Eu também não! Eu perguntava "Ele é legal? Ele é legal? Por favor, me diga que ele é um amor", mas ele é maravilhoso. Os outros trabalhos dele são incríveis. É ótimo. Eu sou muto fã. Eu tenho uma camiseta com ele. É patético, não é? É cinza e tem uma frase dele de "Westwood". E tenho uma com Benedict e Martin como personagens do Snoopy. Tenho outras que dizem...ah, deus, é patético! Eu tenho uma vermelha que diz "Honey, you should see me in a crown" ["Querido, você devia me ver numa coroa", frase do episódio A Queda]. Martin diz "Por favor, não use quando estiver comigo. Por favor." Não tenho permissão pra vesti-las quando estou com ele. Tenho que usar quando ele está fora fazendo alguma coisa. Tenho que me restringir a quando ele está fora fazendo suas coisas. Ele acha que seria esquisito, e ele tem razão.

BSB: Você tem alguma história divertida de bastidores que pode contar?

Amanda: Não sei. Já perguntaram a eles sobre isso uma vez, não? Eles não erram muito, não é? Eu sei que eles se divertem bastante lá. Eles têm uma ótima equipe e se saem muito bem. Mas não...eu acho que teve uma vez quando eles estavam filmando no necrotério e começou a nevar lá dentro e eles ficaram um pouco assustados com isso. Tiveram que sair bem rápido. E os protestos, quando aconteceram os protestos eles precisaram deixar o set de gravação. Não sei se levaram coisas. Acho que sim, coisas foram roubadas.

BSB: Não posso deixar de perguntar: Você já viu o "Martin de bolso"?

Amanda: Não?

BSB: Acho que surgiu de uma entrevista com Benedict, quando ele disse "Eu gostaria de um Martin de bolso, acho que ele daria um bichinho muito bom". E obviamente isso isso foi parar no tumblr e tem várias fotos de Sherlock e uma miniatura do Martin em algum lugar.

Amanda: Awww! Ele é bem baixinho.


BSB: Perfeito pro tamanho de um Hobbit, aliás. O quando Sherlock mudou suas vidas? Em termos da imagem pública dele e tudo.

Amanda: Acho que ele finalmente se livrou de ser o "Tim, de The Office". Certamente mudou a imagem dele aos olhos do público.

BSB: Voltando ao fandom. Tem uma coisa que os fãs chamam de "O Quarto Muro". É quando você gosta de algo, mas nunca há contato direto. E acho que todos te chamam de "a rainha do fandom" agora, porque você não apenas quebrou esse muro, você meio que apoia e coloca lenha na fogueira.

Amanda: Sim. As pessoas não gostam disso, não é? Algumas pessoas não gostam disso. Algumas pessoas ficam um pouco intimidadas. Por eu estar lá.

BSB: É. Eu acho que no início é porque era demais. Havia você e aí o Martin tirou aquelas fotos. Aconteceu tudo de uma vez, daí as pessoas ficaram meio "o que está acontecendo?"

Amanda: Eu só queria agradecer. Nós ainda temos uma pilha de cartões como aqueles. Eu passei a maior parte de uma manhã os juntando e fotografando. Eu ainda não publiquei, mas eu estava na vigésima foto e pensei "O que você está fazendo? Por que está fotografando esses cartões?Vá fazer algo construtivo" Eu sei que os fãs não gostam disso. Acham muito esquisito. Eu li "como ela pode fazer isso? É muito esquisito."

BSB: Acho que isso depende de como é o contato porque acho que há chance dos outros se sentirem desconfortáveis. Porque, você sabe, as coisas que nós desenhamos e escrevemos, toda aquela coisa homoerótica. Tipo, eu não quero que os atores saibam de verdade sobre isso, porque não quero fazer com ele ELES se sintam desconfortáveis. Mas se pra você está mesmo tudo bem, então é ótimo.

Amanda: Isso não me incomoda em nada. Eu penso que, bem, eu fazia isso. Eu não tinha internet quando estava nos meus vinte e pouco, porque não fazia meu tipo. Mas sim, eu era fã de todo tipo de gente diferente. E isso não me incomoda mesmo.

BSB: Acho que tem alguns atores que descobrem os fãs e ficam tipo "legal, vamos nos juntar" e tem aqueles atores que descobrem e fogem pra bem longe e mencionam como estão assustados em toda entrevista. E a gente fica tipo "ops, o que fizemos?"

Amanda: É, e eu acho que vocês estão fazendo um trabalho incrível. Acho que estão fazendo certo. Não estão sendo sarcásticos nem odiosos, estão apenas dizendo que vocês amam a atuação daquela pessoa e como admiram o que eles fazem. Isso não é uma coisa ruim. Aqui, aqui estão. Vejam (mostra as fotos dos cartões que eles receberam). Eu vou publicá-las porque Martin me perguntou "Quantos nós temos?" e eu disse "Um bocado" e ele ficou tipo "uau!".

BSB: Eu ouvi falar sobre isso. Não pude enviar um cartão mas eu vi isso se espalhando por aí e pensei que era uma ideia fofa. E aí você tirou aquela foto do Martin segurando eles e eu pensei "ahhh, eles receberam."

Amanda: Acho que eu disse a ele "acho que você deveria agradecer a todo mundo. Ou eu devo só publicar alguns?". Provavelmente eu não deveria ter colocado aquele que diz "fuck you" na frente, pensando depois, provavelmente não foi uma boa ideia. Mas me lembro que alguém ficou muito ofendida por causa disso. Fui no tumblr de alguém e estavam dizendo coisas como "é nojento, ela faz todas essas coisas, ela faz isso e depois ela não quer ficar nos olhos do público, porque não quer os filhos na internet", Eu quase escrevi pra ela. Mas haviam milhares de pessoas que estavam comemorando e eu achei que era muito bacana. Eu ofendi alguém sendo legal, isso é estranho. Muita gente respondeu me apoiando e disse "ah, deixa de ser ridícula!". Foi muito bacana. As pessoas foram bastante compreensivas.


BSB: Se fizessem uma versão de Sherlock Holmes apenas com atrizes femininas, quem estaria?

Amanda: Ai, deu! Eu como Watson! Não. Sabe quem é boa? Jessica Stevenson. Ela é muito boa. Ela seria ótima nisso. Hm. Quem eu colocaria como Sherlock? Essa é uma pergunta muito boa!

BSB: Esse é um tema muito importante pra mim, acho que é algo que precisa acontecer.

Amanda: É! Acho que eles deveriam mesmo fazer isso!

BSB: Foi feito na Rússia, na época vitoriana.

Amanda: Fantástico! Brilhante. Melhor que aquele "Elementary" americano...

BSB: Tem duas pessoas no tumblr que leram o roteiro e disseram do que se trata. Você meio que lê aquilo e pensa "bem, o que será que está acontecendo?"

Amanda: É. Não façam isso. Vocês não precisam fazer tudo! São tão insistentes em fazer remake das nossas coisas. Façam o de vocês! Vocês estão fazendo coisas muito boas!

BSB: O negócio com as versões americanas é que quando eles percebem que não está funcionando, eles vão lá e cancelam. É como "você já gastou aquele dinheiro todo e todo o tempo, por que não deixa como estava e transmite o original?"

Amanda: Eu sei. "Ah, não está funcionando, tchaaaau!". Mas eu gostaria de ver. Eu gosto do Jonny Lee Miller, eu acho que ele é ótimo! Eu deveria decorar falas nesta tarde, mas eu passarei a maior parte da minha tarde pensando sobre isso [Sherlock feminino]

Como prometido, o Sherlock feminino de Amanda:




Íntegra: aqui

Um comentário:

  1. Wow! Enorme! Mas li tudo. Ela é realmente muito atenciosa e simpática. Obrigada á equipe por traduzir tudo :)

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.