Ads Top

Sherlock Holmes no Século XXI, com Mark Gatiss, Steven Moffat e Sue Vertue

Update: Foram anunciados os três temas para a terceira temporada de Sherlock. Serão: Rat, Wedding e Bow. (Veja na aba Terceira Temporada aqui). Faremos um post atualizado assim que todas s informações sobre o evento de hoje (24/08) estiverem disponíveis.

Sherlock também recebeu dos prêmios durante o evento e está indicada pra mais dois. Mais a ser atualizado em breve.

Snail Trail transcreveu em português muito do que Mark Gatiss, Steven Moffat e Sue Vertue falaram durante o TV Festival 2012 em Copenhagen. Nós temos o vídeo completo (sem legendas) neste post aqui e um relato de Emma, menina que encontrou com o trio no vôo de volta a Londres - com fotos - e conversou um pouco com Mark Gatiss que brincou com ela: "Eu não irei casar John Watson" (aqui no nosso Facebook; aqui post completo em inglês).



Na pauta do post, a série em geral, o episódio piloto, a personalidade de Sherlock Holmes na série, sua relação com John Watson, Moriarty, as teorias na internet sobre "A Queda de Reichenbach" e a campanha "I Believe In Sherlock Holmes".

Vamos manter os tópicos do blog, mas o post completo em português (PT) você pode ler direto no Snail Trail, aqui. Neste post, separamos e editamos alguns trechos mais interessantes, em português (BR). 

Sobre a série:


Lars: Mas deve haver um monte de fãs de Sherlock Holmes que são muito obcecados por ele. Então como tem sido a reação deles à adaptação de vocês? 
Moffat: Sim, tem sido extraordinariamente positiva. Quanto mais fundamentalistas são os fãs de Sherlock Holmes, mais eles parecem gostar do que nós estamos fazendo.

Sobre a personalidade de Sherlock:

Moffat: Ele não é cruel. Ele é tipo deficiente em certas coisas da interação humana. Ou melhor, ele decidiu sê-lo. Ele decidiu limpar a mente de tudo e tornar-se numa máquina de raciocínio perfeita. E sejamos justos, ele fez um trabalho excelente.

Penso que a história do nosso programa – e, de certo modo, da história original –, é ele a começar a compreender que não desligou tudo isso. Ele começa - no início da série - a questionar-se se ele é mesmo um sociopata de alto rendimento, como ele diz ser e é nesses momentos que ele começa a concluir que não é. Ele se importa por magoar a Molly.

Snail Trail: Mark Gatiss e Steven Moffat
Gatiss: Acho que ele tem um novo tipo de sexualidade ainda desconhecido pela ciência.

Moffat: É… isso mesmo. Ele ama-se a si mesmo.

Gatiss: Em termos de sexualidade… Possivelmente, o Sherlock, em algum momento da sua juventude teria tido sexo, da mesma forma que ele teria condensado moléculas de cobre.

Vertue: Cronometrando.

Gatiss: Cronometrando. Mas, no que toca à sua alma e o seu lado romântico, quem sabe? Ele se apaixona por Irene Adler; mas o que é aquilo, um caso amoroso intelectual? É por que ambos são pessoas perigosas? O que é? O Steve diz que não é uma coisa óbvia como sexo.

Moffat: É o amor entre os loucos.

Leia: Benedict afirma que Sherlock se apaixonou por Irene Adler, aqui

Sobre Sherlock Holmes e John Watson

Moffat:  Nós os tornamos homens modernos. Eles não podiam ser um par de vitorianos, eles tinham de ser homens modernos. Eles não podiam chamar um ao outro Holmes e Watson porque isso iria torná-los um par de alunos de colégio. Eles tinham de chamar um ao outro Sherlock e John.

[N.SB: Em recente artigo na Variety, sobre os indicados ao Emmy (que pretendemos traduzir), Benedict Cumberbatch diz: "Eu pareço estranho. Eu pareço como se pertencesse levemente a outra época, mas obviamente estou no século 21, então eu meio que cumpro o papel de ser levemente vitoriano de uma maneira estranha."]

Moffat: O John transforma o Sherlock de um possível psicopata para um herói. E essa é a nossa viagem...John humaniza-o. De certo modo, ele é um standard humano. Porque John faz duas coisas por ele: admira-o imensamente – o que Sherlock adora; todos nós adoramos, adoramos quando alguém nos admira; é muito claro em ambas as versões, tanto em "Estudo em Rosa" quanto no original, "Um Estudo em Vermelho",  que Sherlock fica feliz porque alguém apareceu e disse “Você é brilhante!” – desse modo, Sherlock imediatamente valoriza o seu julgamento, mas John também o critica. Ele é a única pessoa que o gaba e a única pessoa que diz “isso não é suficientemente bom”.

Moriarty

Moffat: Todos os super-vilões da literatura e cinema depois de Moriarty foram uma cópia de Moriarty - Goldfinger fala como Moriarty - tanto que tivemos de criar um Moriarty um pouco diferente. Porque, quando ele apareceu já era um cliché.


Lars: Então, o que fizeram… Que ideias usaram para o criarem?



Moffat: Um bombista suicida. É isso de que nós temos medo atualmente. De pessoas que não valorizam as suas próprias vidas.



Leia: Steven Moffat, Mark Gatiss e Andrew Scott falam sobre a criação de Moriarty, aqui.


Lars: Não vão sentir a falta dele numa terceira temporada?



Moffat: Certamente, porque ele não estará nela.

Teorias de internautas para "A Queda" (Veja várias em português aqui)

Gatiss:  Algumas pessoas assistiram [ao episódio] num detalhe inacreditável, o que, é claro, é… nunca poderá ser a forma como queríamos que o assistissem. A maioria das pessoas, se o assistirem de todo, assiste a metade ou assiste apenas uma vez. E houve gente que fez enormes observações da orelha do Martin e de todas estas pistas que não estão, obviamente, lá, que não significam nada. E algumas destas pessoas dizem, “Bem, obviamente, o Moriarty não está morto porque ele iria… nós veríamos a sua cabeça explodir.”.

Bem, sim, mas isso passou na BBC One às 21:30h. Não nos deixam mostrar coisas como essa! Não é uma pista, é apenas censura.

Campanha "I Believe in Sherlock Holmes"

Repare na blusa/Snail Trail
Moffat: O que é ótimo acerca disso é que, quando Sherlock Holmes morre nos livros – brevemente, já que ele voltou – houve uma enorme manifestação dos leitores da Strand Magazine [revista inglesa onde os contos originais foram publicados] e uma mulher bateu em Doyle na rua dizendo "Seu bruto!", e nós estamos mais ou menos a receber o mesmo.

N.SB: Na verdade, foi uma carta que Doyle recebeu. Ele escreveu sobre isso em trecho que você pode ver traduzido na nossa aba "Você Sabia?", aqui

Por fim, Steven Moffat deixou todos ansiosos ao tuitar hoje que durante o painel Sherlock Masterclass amanhã em festival em Edimburgo, irá revelar "as três palavras da série este ano":

"Ano passado foi A Mulher, O Cão, A Queda. As três palavras deste ano serão revelads amanhã no #MGEITF #Sherlock Master Class"


Veja diretamente no twitter, aqui.

6 comentários:

  1. super ansiosa pelas três palavras :3

    ResponderExcluir
  2. Eu achei super esse novo Moriarty e a forma como ele desestabilizou emocionalmente Sherlock!Sim, um vilão comtemporâneo para uma versão comtemporanea.
    Nossa, essas três palavras vão enlouquecer a gente até 2013!

    ResponderExcluir
  3. Oi!

    Já são conhecidas as 3 palavras sugestivas dos 3 episódios da próxima temporada de "Sherlock"!
    Vejam aqui:
    http://rastodocaracol.blogspot.pt/2012/08/sherlock-bbc-reveladas-as-3-palavras.html

    PHS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, só vimos agora o comentário! Queríamos ter visto antes, mas a conexão estava ruim e tentamos caçar o que pudemos no twitter. Atualizaremos aqui também em breve, com as informações do Digital Spy e Sherlockology (e repassaremos de vocês!)

      O dia hoje está animado!

      Excluir
  4. Concordo com a Caroll. Foi muito bacana a forma como atualizaram o Moriarty para "casar" com o novo Sherlock. E outra coisa que achei bacana e que não tinha me dado conta era do movimento "I Believe in Sherlock". De fato, assim como aconteceu no passado, quando o Conan Doyle matou o Sherlock, os fãs se manifestaram agora, mesmo sabendo que Sherlock não estava morto. Foi um movimento interessante.

    ResponderExcluir
  5. Eu ainda revejo aquele bendito último episódio a exaustão... Terei pesadelos até a terceira temporada comece! XD

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.