Ads Top

O que esperar do season finale His Last Vow


Um apanhado com trechos mais importantes das resenhas sobre o finale da terceira temporada que vai ao ar domingo, dia 12, às 20:30 (UK). Não tem nenhum spoiler, mas pode antecipar algumas coisas. Para ler as resenhas completas, clique nos links.

Den of Geek

É o suficiente dizer que His Last Vow é um final tão bom quanto os que Sherlock já teve. Inteligente, surpreendente, estiloso e emocional, é o mesmo programa pelo qual nos apaixonamos em 2010, mesmo que mais rico (e isso não significa o aumento de orçamento).

Rico no sentido de que nós já conhecemos muito mais os personagens do que antes, então eles são muito mais capazes de nos surpreender. Quando estão em perigo (e em His Last Vow raramente eles não estão), isso significa mais do que já estiveram.

É justo dizer que, ainda que funcionem isoladamente, The Empty Hearse e The Sign of Three foram a abertura de caminho ideal para His Last Vow, que equilibra a comédia com a obscuridade. Existem risadas, sim, mas nada como a piada-por-minuto vista no segundo episódio.

A história é toda baseada em caso e as relações funcionam com a ação. E há bastante ação. Arrombamentos, tiroteio, voos de helicóptero...são noventa minutos visualmente empolgantes. O diretor Nick Hurran não apenas visita o Palácio Mental de Sherlock, mas nos proporciona uma turnê VIP.

Depois de três episódios, Amanda Abbington (Mary) provou ter sido uma adição tremenda ao elenco e Louise Brealey (Molly) merece uma menção especial por um par de cenas onde ela...bem, vocês verão.


Sherlockology

Seguindo os episódios anteriores, Sherlock toma um rumo diferente no tom com o finale da terceira temporada. Dessa vez, nós estamos indo a um território bem mais maduro em termos de trama e caracterização. O roteiro de Steven Moffat leva o espectador a uma ininterrupta montanha-russa de emoção e reviravoltas inesperadas.

Não se engane, este é sem dúvidas o episódio mais obscuro da história da série, indo a lugares que não haviam ido antes. É emocionalmente devastador de maneira completamente diferente de A Queda de Reichenbach, e contém uma veia de um humor pesado que recai explicitamente nos incidentes dos personagens e jogos de palavras que são diferentes da comédia vista em O Signo dos Três, por exemplo.

Charles Augustus Magnussen, interpretado magistralmente por Lars Mikkelsen, é um inimigo frio e repelente, um homem tão certo de seu poder pessoal sobre os outros que isso dá a ele a justificativa para se comportar como quer. Completamente diferente do volátil e insano Jim Moriarty de Andrew Scott, este vilão é verdadeiramente predatório e assustador, alguém que pode ficar cara a cara com Sherlock Holmes e ainda assim dominar o ambiente.

A ação deste antagonista induz um caso - logo no começo do episódio - que leva os personagens principais a estarem em situações onde nunca os vimos antes. Algumas nós já podíamos potencialmente antecipar há muito tempo, outras surgem do nada. Este não é um episódio que se presta ao fan service que apareceu em The Empty Hearse e The Sign of Three, sendo muito mais um desdobramento lógico dos eventos já conhecidos e um preenchimento de algumas possíveis antigas suspeitas que desembocam em dramáticas cenas finais.

Dito isso, His Last Vow continua com a marca desta temporada de desafiar as expectativas do público, uma grande aventura que eleva a série a alturas impressionantes. O roteiro de Steven Moffat é magnificamente baseado no cânone.

Quando começarem os créditos, não desligue sua televisão ou mude o canal. Assista até o finalzinho. É a única pista que daremos a vocês.


Baker Street Babes

-Barba vermelha
-Ponto de pressão
-Maconha
-Molly é extremamente importante
-Mike
-"Ele pode te partir em dois e agora mesmo. Receio que ele deva."
-"Isso não significa que eu não esteja feliz em te ver"
-Mary é muito, muito esperta.
-Uma olhada no passado Holmesiano
-Muito cânone

Cumberbatchweb (um pouco de pequenos spoilers)

-John está achando a vida de casado um pouco irritante...
-Anderson e sua esposa fazem uma aparição
-Sherlock leva seu voto bem a sério
-A interação entre Sherlock e Mycroft é tocante
-Vemos uma versão mais nova de Sherlock interpretada por Louis Moffat
-Saberemos o nome completo de Sherlock
-Joguem fora o que achavam que sabiam sobre o final. Todas as especulações que leram? ERRADAS!

Para ler a sinopse, assistir o trailer e ler um comentário de Steven Moffat sobre o episódio, clique aqui.


Um comentário:

  1. Resenha perfeita, parabéns! :)
    Mal posso esperar para assistir ! *-*

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.