Ads Top

Especial de Sherlock abordará "o papel das mulheres" na Era Vitoriana

Se vocês acham que o ENEM não foi o suficiente, esperem para ver o que Mark Gatiss tem a falar sobre o especial de Sherlock

Já fazem quase dois anos desde a última temporada da série, mas a agonia dos fãs está perto do fim. Benedict Cumberbatch, Martin Freeman e grande elenco irão retornar no dia de ano novo para um novo episódio e, pela primeira vez, na Era Vitoriana

Durante uma entrevista para promover o próximo episódio de Doctor Who, Mark Gatiss, um dos criadores da série revelou que o episódio especial "A Noiva Abominável" (The Abominable Bride) irá trazer mais mudanças para as personagens femininas da série do que para os atores principais.

"[Holmes e Watson] já eram homens modernos nessa época, não seria realmente um [desafio] para este episódio" explicou Gatiss. "O grande desafio foi o papel das mulheres. Você não pode ignorar como era naquela época e isso, na verdade, acabou sendo fundamental para a trama. Foi muito interessante; várias coisas que você supunha, em termos de como as mulheres agiam na sociedade, são totalmente diferentes.

"A maneira que as mulheres eram controladas no século 19 pode ser exemplificada pela total ausência de banheiros públicos para as mulheres", continuou Gatiss. "Há uma história sobre o primeiro banheiro público para as mulheres - ele ainda está lá, ele é feito de pedra, mas o primeiro mesmo foi feito de madeira. O primeiro deles foi destruído por um motorista de táxi revoltado porque achava que aquilo era nojento. Basicamente, se você fosse uma mulher naquela época e não tivesse um banheiro público próximo, você seria obrigada a não ir muito longe de casa. Não é um pensamento extraordinário? É como o controle da mente. "

Então, basicamente, as mulheres do especial - que incluem a esposa de Freeman na vida real, Amanda Abbington, como Mary, Louise Brealey como Molly Hooper, Una Stubbs como Mrs. Hudson, e, presumivelmente, a noiva que dá título ao episódio- terão muito o que fazer neste episódio que, segundo Gatiss, deverá fazer os espectadores de todos os gêneros muito felizes.

Também ficarão felizes os fãs de um Sherlock um tanto amável e mais delicado do que aquele que vimos em "The Last Vow", que atirou na cabeça de Magnussen.

"É um especial, um tanto quanto diferente, mas é o mesmo show", continuou Gatiss.

"[Sobre a humanização de Sherlock] foi uma decisão particular que fizemos porque, para ser honesto, o Sherlock Holmes de Doyle não é o mesmo homem no final, como era no começo. Doutor Watson muda sua vida, ele humaniza-o. Ele nunca vai ser como nós, caso contrário ele não seria interessante, mas é claro que ele fica melhor no que faz. Caso contrário, ele seria apenas um idiota, e estaria parado. Nós fizemos uma decisão consciente de fazê-lo um pouco mais quente ... mas ele nunca vai ser como todos os outros, caso contrário ele não seria Sherlock Holmes ".

Gatiss também garantiu ao MTV News que, sim, o show tem um plano de longo prazo quando se trata sobre o que diabos está acontecendo com Moriarty (Andrew Scott).

"Há um plano mestre", disse ele com um sorriso. "Há um plano. Há um plano de longo prazo. Muito longo prazo. "

Fonte: MTV News

Um comentário:

  1. Já tem alguma notícia sobre o especial ser exibido no Brasil?

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.