Ads Top

Louise Brealey entrevista Benedict Cumberbatch no Festival de Literatura de Cheltenham

No último dia 06 de Outubro, aconteceu o Festival de Literatura de Cheltenham, onde Benedict Cumberbatch foi entrevistado por sua colega de elenco em Sherlock, Louise Brealey, no painel sobre Sherlock Holmes na modernidade, onde eles trouxeram algumas novidades e revelações sobre a série. O Sherlockology fez uma resenha bastante abrangente sobre tudo o que rolou durante a entrevista - e nós trazemos a matéria traduzida pra vocês! Segundo o site, o evento foi filmado pela @Skyarts para ser transmitido no futuro, mas ainda não há previsão de data. Enquanto isso, trazemos três pequenos vídeos filmados por uma fã; e as fotos vocês podem ver no nosso álbum do Facebook!


Do Sherlockology

O dia 6 de outubro de 2012 viu os fãs de Sherlock a caminho de Cheltenham para ouvir Louise Brealey entrevistar Benedict Cumberbatch no Festival de Literatura de Cheltenham sobre Sherlock Holmes e seu papel na série de TV. No evento, a conversa ficou mais focada no trabalho e carreira de Benedict, mas quando a discussão é animada, engraçada e divertida como foi essa, certamente coisa ruim não é.

Quando J.K. Rowling, inegavelmente a autora moderna de maior sucesso, disse a seu público que ela era meramente um esquenta para a entrevista de Benedict Cumberbatch, você tem uma sensação da expectativa que permeava o edifício. Emergindo no palco para uma recepção verdadeiramente calorosa de uma audiência lotada com duas mil pessoas, Benedict e Louise estavam com humor brincalhão, fazendo a piada de que Steven Moffat e Mark Gatiss, os verdadeiros experts em Sherlock Holmes, não participariam da conversa. Isso levou Benedict a atuar como se estivesse chocado e confuso, andando pelo palco e olhando o backstage com cara de incrédulo, antes de se sentar. Louise comentou que a próxima vez que ela irá dizer "Eu interpreto Molly Hooper" em frente a um público seria durante a leitura para a Terceira Temporada de Sherlock no próximo ano.

Enquanto muitas perguntas cobriam informações já conhecidas, houveram algumas confirmações e revelações relcionadas a Sherlock e aos próximos papeis de Benedict, que listaremos a seguir:

- Mark Gatiss já entregou seu primeiro esboço do episódio de abertura da Terceira Temporada de Sherlock - ele tuitou sobre como era um "alívio físico" terminar um roteiro, em 2 de outubro.

- Confirmação de que Benedict realmente tem um dos incrivelmente raros sobretudos Belstaff Milford, tornados icônicos em seu papel como Sherlock Holmes. Foi um presente de Mark Gatiss após a filmagem do piloto original da série, em 2009. Benedict brincou dizendo que só o vestiu uma vez, indicando que sair publicamente com ele o deixaria muito exposto.

- Não é verdade os boatos de que ele seria o vilão no 24o filme de James Bond. Benedict não sabe nada sobre isso.

- Primeiras informações sobre a performance de Benedict pra O Necromancer na trilogia O Hobbit - anteriormente sabíamos apenas que ele havia gravado a voz do personagem. Esta informação veio quando ele expressou sua frustração que a maior parte da mídia noticiou que ele faria apenas a voz do dragão Smaug nos filmes, quando ele na verdade irá retratar toda a performance vista na tela para a criatura gigante através de captação de movimento, que ele fez durante dois intensos dias de trabalho na Nova Zelândia, no início deste ano.

- Confirmando comentários anteriores, Benedict declarou que o único papel entre todos que ele gostaria de interpretar no palco é Hamlet, e ele está trabalhando para encontrar um tempo na agenda para transformar isso em realidade.




Sobre Sherlock, tanto Benedict quanto Louise reafirmaram que podem apenas oferecer um saudável "nada a declarar" quando perguntados sobre como Sherlock sobreviveu ao pular do St Bart Hospital durante A Queda de Reichenbach", com Benedict dizendo que a pergunta pode vir de Steven Spielberg ou qualquer outro Steven, ele só poderia dar essa resposta. Ele contou uma divertida anedota sobre interpretar o personagem, sobre um encontro que teve com alguém em um pub após a primeira temporada ter ido ao ar. O homem tinha gostado bastante da sua performance, mas comentou que Benedict tinha "roubado" as famosas "mãos de oração" dos outros que interpretaram o personagem no passado - embora, como comentou Benedict, a característica física mais famosa de Sherlock ao pensar veio dos escritos originais de Sir Arthur Conan Doyle!
Benedict disse que a versão de Sherlock Holmes com a qual ele é mais familiarizado é a de Jeremy Brett na série da Granada, quem ele conheceu criança, comentando a incrível aparência de falcão e a frieza de qualidade que ele trouxe ao papel, e a tragédia da sua própria vida incrementando o personagem com tais elementos a tanto custo [N.SB: Jeremy Brett entrou em depressão após a morte da sua esposa e também sofria de um problema cardiaco congênito, que o levou a gravar as últimas temporadas da série já bastante debilitado]. A familiaridade levou Benedict a questionar a validade da versão da BBC antes de ir fazer o teste, mas uma vez que ele descobriu o calibre dos envolvidos nos bastidores, ele perdeu suas reservas. Ele falou sobre seu teste para a série da BBC, que famosamente aconteceu no apartamento de Beryl Vertue - com Beryl servindo chá e biscoitos a ele de um modo bastante Mrs Hudson - e sua leitura subsequente com Martin Freeman, onde ele percebeu que tinha "ficado bem mais animado".

"Nós conhecemos alguns atores incríveis - todos eram muito, muito bons e trouxeram algo de extraordinário para o personagem - mas quando Martin entrou eu me senti bem mais animado. Completamennte. Ele não tem pouco talento. Ele pode abaixar a bola desse personagem extravagante e extraordinário [Sherlock] - ele pode dar um contexto realista a algo que seria um pouco fantasioso."  

Ele estava cheio de admiração por seu amigo durante a conversa, comentando que odeia a palavra "auxiliar" ["sidekick", no original] e que sua parceria é muito mais um double act [atuações complementares], e dizendo que na verdade, Martin pensa bem mais rápido que ele - foi bastante divertido quando Benedict disse que ele está mais para John Watson na vida real, vendo a si mesmo muito mais como alguém que acompanha.  

[N.SB: O Radio Times trouxe a citação completa, onde Benedict diz: "[Eu sou mais] Watson - sou muito mais de acompanhar. Martin tem uma inteligência intuitiva muito mais que eu, eu não sou um sociopata assexuado - não que Martin seja um sociopata assexuado!!" e ainda:

Louise perguntou qual era a melhor parte de filmar Sherlock, que Benedict achou muito difícil de escolher, e acabou nos dando uma lista:

- Quando acaba de filmar uma dedução - "um alívio parecido como um desafrouxar de cinto"
- Quando ele precisa correr e se divertir e "ser um pouquinho herói de ação"
- Um bom diálogo tête-à-tête com Martin
- Retratar momentos quando Sherlock está errado e precisa dar o braço a torcer
- Filmar a cena do telhado entre Sherlock e John em "A Queda de Reichenbach", e poder achar a vulnerabilidade e profundidade emocional do personagem.
- "O casaco é legal, mas não no verão."
- "Dirigir um Land Rover o mais rápido possível foi muito bom!"
- Fazer certo o diálogo é "uma das melhores coisas do mundo"
- "E você" (para Louise)


"Há alguma chance pra Molly?"; "Sempre há uma chance pra Molly. Essa é a coisa mais cruel. Vamos descobrir"; "Pobre Molly."

Quando perguntado se tinha algum episódio favorito como espectador, ele disse que não mas novamente citou a cena do telhado em "A Queda de Reichenbach" e poder ver o que Martin estava fazendo no chão enquanto ele estava no telhado, na versão final do episódio.

"Eu não conseguia ver o rosto de Martin, obviamente. Ele era só um borrão no local, esperando um borrão maior cair aos seus pés...[mas depois] foi maravilhoso ver o que ele fez na outra parte do final daquela conversa de telefone - eu podia ouvir mas ver foi muito, muito, muito emocionante e, ele estar em choque depois..é ridículo, mas me fez chorar."
Benedict também falou sobre a coisa mais constrangedora que aconteceu a ele no set de filmagem, que foi a infame cena de Sherlock vestido apenas com um lençol dentro do Buckingham Palace. Em um dos takes de Mycroft pisando em seu lençol durante a cena, uma combinação de fatores entre a pisada de Mark e o movimento de Benedict pra frente o levou a cair de cara no chão. [N.SB: Eles comentam o ocorrido no post "Curiosidades: Escândalo na Belgrávia", aqui no blog]. A outra piada foi quando Louise revelou o que havia dentro do presente de Natal que Molly deu a Sherlock em "Escândalo na Belgrávia" - a Mankini, como aquele de Borat. Ele também comentou sua frustração ocasional com o cabelo de Sherlock, e o tempo que leva pra prepará-lo e cuidar dele antes da filmagem pode tomar um dia.

Sabendo do tamanho da audiência, Benedict bem espertamente aproveitou a oportunidade para esclarecer sua declaração deturpada na imprensa sobre "Elementary" e "surra na elite", com dois mil pares de olhos talvez sendo as melhores testemunhas para o que ele tinha a dizer. Ele comentou que muito disso pode ser atribuído  ao seu humor mal interpretado e até notícia fabricada, então agora ele está ficando mais reservado ao dar entrevistas. Sobre "Elementary", ele disse que era impossível e errado ele reclamar algum tipo de posse do personagem após 70 atores já terem interpretado Holmes, e reafirmou verdadeiramente desejar o melhor para seu amigo Jonny Lee Miller em sua performance, querendo que ele tenha "nada mais que um enorme sucesso" e declarou o quão impressionado ele estava com a série após ver o piloto nos Estados Unidos. Sobre a "surra na elite", ele disse que se divertiu a de repente ser promovido a porta-voz dos privilegiados na mídia por uma declaração distorcida e até declarações falsas, e uma das razões que leva alguém a se tornar ator é se libertar de qualquer noção de classe. Ele está claramente muito agradecido pelas oportunidades que seus pais lhe deram e a fama que lhe abriu portas e uma delas é a oportunidade de se tornar porta-voz da caridade, e ajudar as pessoas a ter uma segunda chance onde normalmente elas não seriam ouvidas. Ele destacou a corrida de bicicleta beneficente do Palace to Palace que ele irá  fazer para o The Prince's Trust [do qual é embaixador] no domingo, dia 24 de outubro, pedalando 45 milhas do Palácio de Buckingham até o Castelo de Windsor - e brincou que vestiria aquele mankini citado como parte do seu uniforme de ciclista. Ele disse que o maior benefício da fama repentina é a oportunidade de falar sobre essas coisas para um grande público, e as oportunidades que a fama dá em geral.


Falando sobre seus projetos recentes, Benedict revelou partes de sua preparação para seu papel em "Frankenstein" no Nacional Theatre, participando de uma autópsia ao vivo e se resguardando de experiências sensoriais para conseguir entender a experiência de nascer de novo. Sobre "Parade's End", devido a díficil agenda da produção, ele não teve tempo de ler os livros antes e confiou no roteiro de Tom Stoppard, na direção de Suzanna White, e no trabalho de seus colegas para entender o personagem de Christopher Tietjens de início, antes de encontrar tempo para mergulhar nas 900 estranhas páginas do trabalho de Ford Madox. Ele disse que depois de todos os personagens que interpretou, Tietjens é seu favorito, e concordou com a declaração de Louise de que sua aparência e modos o deixam perfeito para interpretar personagens de época, mas disse que sua identificação com esse tipo de papel podia ser atribuída a suas maneiras de "alma velha" - algo apontado a ele por um de seus professores da escola. Incidentalmente, seu professor da escola estava na audiência, o que levou a audiência a enormes aplausos, e depois um pedido de desculpas a ele quando Benedic admitiu fumar e beber uísque em uma tentativa bem sucedida de engrossar a voz para uma peça da escola!

Benedict também falou sobre seus próximos projetos, incluindo "August: Osage County", que filmou este mês ao lado de Meryl Streep, Julia Roberts, Ewan McGregor e Chirs Cooper, e irá voltar em breve para os Estados Unidos para continuar a trabalhar no filme. Fazendo uma excelente cara de tacho, ele não deu nenhum declaração sobre "Star Trek Into Darkness", mas falou sobre como o filme será uma fantástica experiência em maio do próximo ano.

A discussão se voltou para o Twitter no fim do evento, seguindo a pergunta de Benedict se as pessoas queriam que ele entrasse na rede social - para o alvoroço enorme do público. Ele reafirmou que não tem planos para fazer isso, e que ele não tem mesmo nenhuma conta na rede, mas também sugeriu que não tinha habilidade e dom necessários para colocar informação naqueles incômodos 140 caracteres.

Seguindo a seção de Perguntas & Respostas do painel - muitas das quais já contamos aqui - o evento acabou estourando o tempo, mas antes de voltarmos para casa, paramos pra observar a dedicação dos fãs a este notável ator e sua resposta de volta a eles, passando do tempo previsto para sua mesa de autógrafos para garantir que cada pessoa na fila recebesse sua assinatura. É sempre um prazer imenso ouvir atores falando sobre seus trabalhos, e tão bom como é na tela, Benedict extremamente divertido de ser ouvido pessoalmente.


Para contribuir com a corrida beneficente de Benedict Cumberbatch para o Palace to Palace, visite sua página de patrocínio.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.