Ads Top


A revista Crime Scene publica nesta terça sua edição com a matéria feita com o elenco e produção de Sherlock.

Como ainda não tivemos acesso à matéria completa, colocamos aqui alguns quotes que vimos aqui da entrevista feita com Benedict Cumberbatch, Martin Freeman, Amanda Abbington, Mark Gatiss, Louise Brealey, Steven Moffat e Sue Vertue, para matar a ansiedade sobre o que vem por aí.

Atualização, 06/12: As imagens com a matéria completa podem ser lidas aqui.  Não achamos necessário traduzi-la, já que tudo o que elenco e produção tinham a dizer, nós já publicamos nos quotes.

Os quotes estão divididos de acordo com os entrevistados:


Essa temporada é particularmente épica. No final da terceira temporada, em Seu Último Juramento, Sherlock aparentemente está indo para o exílio. Ele matou um homem terrível, mas o que vai acontecer agora? O episódio especial acontece durante essa brecha de 5 minutos, mas nós já sabíamos para onde estávamos indo porque Mary está grávida, o que muda tudo. O título não oficial do primeiro episódio é "Os três Watsons" porque o bebê muda a dinâmica, não de uma forma fofa, mas por colocar os personagens em um lugar diferente.

Começou a chover enquanto estávamos filmando Seu Último Juramento (T3E3), então eu e Steven nos abrigamos no ônibus executivo da produção e começamos a lançar umas ideias. Na hora em que saímos do ônibus, já tínhamos definido toda a trama desta temporada. Nós somos como passarinhos, pegando pedacinhos de histórias diferentes do Conan Doyle. "Ah, aquela parte podia se encaixar aqui". Fazer [a série] a cada dois anos e meio significa que a história precisa estar em uma larga escala. Não pode ser só a historinha da semana. Tem mesmo que ser algo maior.

Como enormes fãs de Sherlock Holmes, Steven e eu achamos incrível termos o privilégio de mantermos as chaves de Baker Street por um tempo e por fazermos um programa que mexeu com tantas emoções. Nós nunca poderíamos ter previsto esta dimensão. Desde o piloto, nós queríamos ter orgulho da série, mas o alcance internacional é de fundir a mente e um pouco aterrorizante.

Na primeira temporada nós gravamos com Benedict e Martin no meio da Trafalgar Square sem nenhuma proteção. Não podemos fazer isso agora!

-- Mark Gatiss


O programa se chama Sherlock. O programa não tem o nome de mais ninguém, então tipo, na próxima vez todos nós provavelmente estaremos mortos e vai ser só o Ben. Porque, definitivamente, ele é a única coisa imprescindível.

O meu sentimento é o de que se você gosta de algo, então deixe que venha à tona e dê uma chance. Mas pare de fazer quando você não estiver mais gostando. Mas no momento, eu estou curtindo muito.

-- Martin Freeman



Não posso falar sobre o efeito que a bebê tem na relação entre Mary e John porque há um impacto, mas Sherlock reage de uma forma bem Sherlockiana. De qualquer forma, Sherlock teria que reagir, já que é isso que ele faz.

[Sherlock está] encrencado e desafiado, no auge e no fundo do poço. Então há enormes altos e enormes baixos, e você vai descobrir quem ele é de verdade.

Eu amo [a série] mais que nunca. Eu também amo o personagem mais agora porque pude experimentar interpretar outros lados dele.

Tenho orgulho do que nós fizemos. Mas sim, claro, a série ainda mantém um fascínio, se não eu não voltaria a fazer mais. Tem muita coisa acontecendo na minha vida no momento, ainda bem. Tenho muita sorte como ator. Então não tem a ver com ter um emprego, tem a ver com ter vontade de fazer, e eu tenho muita sorte de estar nessa posição. E ainda ter um personagem como esse, que eu ainda quero mesmo interpretar.

[Sherlock] tem sido um prazer para nós [Benedict e Martin], como atores. Nós sempre temos aquele momento em que lemos o roteiro e telefonamos um pro outro. Nós temos aquele momento em comum entre nós dois, em que ficamos "Oh meu deus, isso é muito empolgante! Temos tanta sorte de fazer isso!".

-- Benedict Cumberbatch


A série é sobre Sherlock e John, e eu não quero que Mary se torne a terceira roda. Eu quero que o programa seja sobre eles, mesmo. E eu acho que os fãs também querem. Se se chamasse "Mary", aí seria outra coisa. Seria um spin-off sobre a vida dela como uma assassina e como ela entrou nessa. 

Nós recebemos o primeiro roteiro e ficamos tipo, "Gente, isso é incrível!", e aí nós recebemos o segundo roteiro e ficamos tipo, "É ainda melhor que o primeiro!", e aí nós recebemos o terceiro e foi assim "Como é que nós vamos nos safar dessa?!". Mas acho que se conseguirmos nos safar, será incrível.

-- Amanda Abbington



Culverton Smith é completamente diferente. Ele é o vilão mais sombrio que já tivemos. O Moriarty sempre teve algo de charmoso e cativante. O Charles Magnussen tem algo de fascinante e, na verdade, mais amoral que imoral. Mas esse cara é a maldade mais pura. Sherlock, na verdade, fica perplexo com ele. Ele é o vilão mais diabólico que já tivemos. Eu não acho que, quando você você vir, irá discordar. Ele é horrível.

Assim como Mark, eu comprava livros sobre Sherlock obsessivamente. Eu era fascinado por ele, eu achava que ele era exótico e indomável. Então agora eu acho muito sem sentido e, ao mesmo tempo, é um enorme prazer, que sempre que saem esses livros a nossa produção é a que provavelmente estará na capa. É incrível.


Provavelmente nós temos esse momento gravado. Entre tantos Watsons, Martin teve a oportunidade de fazer o teste com o Benedict. O momento em que nós vimos os dois atuando juntos pela primeira vez, soubemos que o programa estava bem ali.

-- Steven Moffat


 É tão empolgante poder voltar a cada dois anos e ver todo mundo. Você não fica muito nervosa, porque todos são seus amigos, desde o pessoal da maquiagem até o departamento de figurino. Fazer parte disso é uma coisa linda.

-- Louise Brealey


Coisas que aprendemos durante esta temporada: não grave com um bebê e um cachorro!

-- Sue Vertue


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.