Ads Top

Louise Brealey: "Se você quer dormir com Sherlock, e há uma mulher na tela que quer dormir com Sherlock, você se identifica".



As luvas de borracha estão de volta, Louise Brealey me diz. Mais conhecida por seu papel como Molly Hooper, a apaixonada patologista em Sherlock, Brealey em breve estará na peça de Joe Penhall, Birthday, ao lado de Stephen Mangan no Royal Court Theatre.


Birthday conta a estória de Lisa e Ed, interpretado por Mangan, que estão tentando ter outro bebê e tentando se certificar de que farão as coisas diferentes dessa vez. Brealey interpreta uma das médicas que os ajuda a trazer à criança. "Há gel KY envolvido e penetração anal", ela conta.


Brealey está conversando comigo durante a convenção Collectormania, em Milton Keynes, onde ela passou o dia conhecendo fãs e autografando lembrancinhas. Ela estará de volta na terceira temporada de Sherlock, a ser filmada em Janeiro. Brealey diz que seus colegas de elenco, Benedict Cumberbatch e Martin Freeman são "amáveis e um deleite".
"Martin é absolutamente hilário, ele está sempre fazendo piadas e fazendo todo mundo rir e é uma alegria de ver. É muito divertido, desde o início, desde a cena em que eles se conhecem, você se convence de que eles são Sherlock e John e isso é muito divertido."


Ela continua dizendo: "Normalmente eu estou no necrotério o que é menos divertido do que a cena que nós fizemos em Baker Street. Mas tudo bem estar no necrotério de Merthyr Tydfil em Janeiro."


"Nós gravamos o piloto lá há muito tempo e a primeira vez foi um pouco peculiar. Foi um pouco intimidante, várias pessoas no congelador e essas coisas. Eu estava bastante curiosa. Me lembro de perguntar a um cara que trabalhava lá sobre post-mortems"


O final da segunda temporada de Sherlock viu o enorme mergulho do telhado do hospital St. Bartholomew em Londres supostamente para a morte, apenas pra que ele aparecesse bem vivo na cena final. Logo depois do episódio ir ao ar, a internet ficou cheia de especulações e teorias sobre como Sherlock conseguiu sobreviver, sugerindo que a personagem de Brealey participou integralmente.


"A fala oficial é que eu sei mas não posso te dizer e se eu te disser, eu serei demitida.  Então eles [os fãs] tem respondido bem a isso e não me forçam. Sim, eles me perguntam o tempo todo. É certo e houveram muitas perguntas na época. Está se acalmando aos poucos."


Molly deveria aparecer no piloto apenas para mostrar ao público a falta de interesse de Sherlock pelas mulheres. Mas a performance de Brealey impressionou tanto os criadores Mark Gatiss e Steven Moffat que o papel foi estendido.
Ainda que esteja em poucas cenas, ela já é amada pelos fãs. "Eu acho que ela é bem inofensiva e muito comum e acho que as mulheres jovens, as meninas, podem se identificar com ela e os homens não se sentem ameaçados. Então, ela é um pouco da mulher comum rodeada por essas pessoas extraordinárias e dessa forma, se conecta com a audiência; e ela também é um doce."


Brealey completa: "Se você é uma mulher jovem e quer muito dormir com Sherlock, e há uma mulher na tela que quer muito dormir com Sherlock, você irá se identificar com ela." Ao dizer isso, ela declara que não é como Molly "Eu não deixaria um homem falar comigo daquela forma, mesmo assim, quem nunca saiu de si por algum cara?"


O programa ganhou apelo com as massas na Bretanha, rivalizando até com Doctor Who, enquanto que a segunda temporada recentemente foi ao ar nos Estados Unidos com elogios da crítica, mas Brealey achou que a série faria um sucesso tão grande? "Não, nós todos sabíamos que seria fantástico mas acho que não sabíamos que todo mundo acharia fantástico."
Enquanto atua, Brealey também é uma jornalista de sucesso e escreveu numerosos artigos para publicações como Empire, Total Film e Wonderland. "Acho que a melhor coisa é que eu posso fazer ambos. Se eu tivesse que escolher, seria atuar, é muito difícil uma vez que você já atuou. É como um veneno nas suas veias que nunca te deixará. Você quer, mas não pode deixar de fazer. Escrever é algo que eu tenho feito já muito tempo. Eu sentiria muita falta se não pudesse mais escrever. Então, eu tenho muita sorte de poder fazer os dois."
Ela já entrevistou centenas de pessoas, incluindo Angelina Jolie, Russell Crowe e Colin Firth. Eu perguntei a ela quem foi o entrevistado mais irresistível e ela parou por um momento antes de responder: "Em termos unicamente do fator celebridade, eu entreviste Liv Tyler em Nova York e ela me convidou a ir a sua casa porque havia muito barulho no lugar onde estávamos fazendo a entrevista. Terminamos na cozinha dela com comida entregue em casa e fumando Marlboro Lights e fizemos duetos das músicas de amor de Gram Parsosn porque ambas estávamos na fossa."
"Então foi divertido e é um privilégio verdadeiro quando você pode ter um encontro real com alguém. Você não costuma ter oportunidade de fazer isso, você tem um assessor de imprensa e 15 minutos e tudo cuidadosamente microgerenciado."
Sobre os projetos vindouros, ela me conta que voltará à BBC para fazer pesquisas para documentário e outros projetos de escrita mas ela se sente relutante em falar muito porque a maioria estão em estágios prematuros de desenvolvimento.


"Birthday" ficará em cartaz até o dia 04 de Agosto no Royal Court Theatre.


Louise no palco em Birthday
Fonte: The Independent

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.